.

.

.

.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Evento "Outubro Rosa" no SEAAC Jundiaí é sucesso!


Outubro Rosa é uma campanha de conscientização realizada no mês de outubro dirigida à sociedade e às mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.   

Com o intuito de promover um evento para dar atenção a este tópico tão frequente no cotidiano de todos e ao mesmo tempo, incentivar uma maior qualidade de vida, o SEAAC Jundiaí, organizou dia 15 de outubro, no Quality Hotel, para cerca de 140 participantes o evento “Outubro Rosa” oferecendo café da manhã e almoço, entremeados por palestra do Dr. Rodrigo Gregório Brandão*, depoimento do Sr. Itamar Revoredo Kunert e apresentação da Academia de Dança Portal do Egito, que descontraiu os convidados.   

Prestigiaram o evento, destinado aos empregados das categorias representadas pelo SEAAC, a Sra. Teresinha Annéia – diretora da Aescon e do Sescon São Paulo, Sra. Maria Abadia dos Santos – representante da Secretaria das Mulheres da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros), Sr. Itamar Revoredo Kunert - secretário de Organização e Mobilização da Executiva Nacional da CSB, João de Paula Britto - diretor presidente do Sindpetshop e representante do Sindicato dos Motoristas de Caieiras.   

Ao final do evento, a presidente Maria Aparecida Felicini considerou: A cada ano vem aumentando a adesão ao movimento mundial "Outubro Rosa", que visa chamar atenção, diretamente, para a realidade atual do câncer de mama e a importância do diagnóstico precoce; como sindicato cidadão que somos, estamos fazendo nossa parte divulgando informações de qualidade sobre assunto tão delicado e formando multiplicadores que possam transmitir seu conhecimento para mais pessoas. O sindicalismo solidário exige um envolvimento maior com nossa categoria e com a sociedade, nosso objetivo.”   

O palestrante, Dr. Rodrigo Gregório Brandão, foi homenageado pela diretoria do SEAAC com uma placa comemorativa.

Veja mais fotos...

Centrais convocam greve geral para 11 de novembro

Fonte: Valor Econômico
Em reunião ontem (21/10) na sede da CUT, em São Paulo, sindicalistas de várias Centrais Sindicais combinaram a realização de uma escalada de paralisações no país que começará com uma greve geral no dia 11 de novembro.

O protesto será a primeira etapa do que estão chamando de ´jornada de lutas contra a retirada de direitos´ no país. Eles fazem oposição às reformas que estão sendo propostas pelo governo do presidente Michel Temer.

São contra o modelo de reforma da Previdência que estabelece idade mínima para aposentadoria e equiparação entre homens e mulheres. Também são contra a ideia de uma reforma trabalhista que flexibilize normas da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) ou faça com que o negociado entre patrão e empregado prevaleça sobre o legislado. Além disso, protestam contra a PEC 241 defendida pelo governo Temer, a proposta de emenda constitucional que fixa um teto de gastos do governo pelos próximos 20 anos.

Sndicalistas esperam conseguir fazer o dia inteiro de greve em 11 de novembro; outros farão paralisações parciais, de uma hora. Uma segunda rodada de greves e paralisações será feita no dia 25 de novembro. Grupos de pressão no Congresso serão organizados paralelamente ao calendário de protestos.

Prefeitura de Jundiaí trajada para o Outubro Rosa!


Participe desse movimento. Informe-se, divulgue!

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Fechado Acordo Coletivo com Empresas de Cobrança

Clique e veja as principais cláusulas econômicas.

A íntegra da CCT está disponível no sindicato.

38 anos de uma parceria frutífera!


Um sindicato é uma associação de trabalhadores cujo objetivo é defender os seus interesses e direitos profissionais. Cada trabalhador é livre de participar da constituição de um sindicato e dele se tornar sócio, sendo o conjunto dos trabalhadores organizados num sindicato, livres para estruturar e regular o seu funcionamento além de definir as formas e os objetivos da luta coletiva.    

Assim nos últimos 38 anos nosso sindicato representa os interesses da categoria perante autoridades administrativas (prefeituras, governadores, secretários de estado e municipais, delegados regionais do trabalho etc) e judiciários (presidentes dos tribunais e juízes em geral); celebra convenções coletivas de trabalho; elege ou designa os representantes da categoria profissional, colabora com o estado, como órgãos técnicos e consultivos, para a solução de problemas relacionados com a categoria profissional que representa; recolhe e administra as contribuições de todos aqueles que participam da categoria profissional representada.   

Hoje, 20 de outubro, comemoramos o aniversário do SEAAC Jundiaí; temos muitos motivos para comemorar esta data e um deles é celebrar esta frutífera parceria com a categoria, que nos permite representá-la, acreditando em nosso trabalho e fortalecendo nossa luta para melhorar a condição social dos trabalhadores.   Nosso associados nos impelem a ficar atentos à defesa dos seus interesses individuais e coletivos, nos estimulam a reunir informações e esclarecimentos valiosos sobre o mundo do trabalho e emprego e a investir na capacidade negociadora do sindicato, fortalecendo seu apelo nas questões jurídicas.   

Agradecemos a você Associado por fazer do SEAAC um sindicato forte e representativo!

Maria Aparecida Feliciani
Diretora Presidente

Confira as vagas do PAT Jundiaí para esta quinta-feira (20)

O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) tem vagas de emprego abertas para esta quinta-feira (20). Os interessados devem comparecer à rua Zacarias de Goes, 530 – Centro. O atendimento do PAT Jundiaí é de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30. É necessário levar RG, CPF, carteira de trabalho, PIS ou cartão do cidadão. 

O PAT informa que durante toda a semana poderá haver alteração no quadro de vagas, pois essas podem ser preenchidas a qualquer momento e outras são disponibilizadas. Informa ainda que algumas vagas contam com requisitos solicitados pelas empresas. 
Auxiliar de Enfermagem Socorrista – somente candidatos de Jundiaí; 
Cozinheiro – somente candidatos de Jundiaí, Várzea Paulista e Campo Limpo Paulista; 
  • Encarregado de Supermercado – somente candidatos de Jundiaí e Várzea Paulista; 
  • Operador de Movimentação e Armazenamento de Cargas – VAGA EXCLUSIVA para pessoas com deficiência (amputação, nanismo, um membro inferior, surdez parcial e total); 
  • Porteiro – somente candidatos de Jundiaí; 
  • Repositor de Mercadorias – somente candidatos de Jundiaí; 
  • Telefonista – somente candidatos de Jundiaí.

STF suspende ultratividade de convenções e acordos

Fonte: Ag. Diap
Por pressão de confederação patronal, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu, na última sexta-feira (14), medida cautelar para suspender todos os processos e efeitos de decisões no âmbito da Justiça do Trabalho que discutam a aplicação da ultratividade de normas de acordos e de convenções coletivas de trabalho. 

A decisão, a ser referendada ou não pelo plenário do STF, foi proferida na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 323, ajuizada pela Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino (Confenen), que questiona a Súmula 277, do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

A ultratividade foi aprovada como regra pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), em setembro de 2012, na chamada ‘Semana do TST’, que reavaliou a jurisprudência e o regimento interno da corte, que passou a adotá-la como princípio balizador para as negociações coletivas de trabalho. Pela regra, os direitos constituídos nos acordos ou nas convenções coletivas vigoram até que nova negociação seja firmada pela entidade sindical.

Este princípio constituiu-se num importante avanço para as relações de trabalho, pois permitiu mais equilíbrio nos processos negociais, já que as partes — trabalhador e empregador — negociavam tendo como referência o acordo ou convenção anterior, que mesmo ‘vencida’ ou ‘expirada’ continuava vigendo até que novo pacto fosse firmado.

A decisão monocrática do ministro Gilmar Mendes pode ser revertida no plenário.

INSS tem nova revisão para incluir o tempo especial

Fonte: Agora
Trabalhadores que não conseguiram comprovar a atividade insalubre para se aposentar mais cedo ou com um salário maior têm uma nova chance de conseguir essas vantagens.

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) determinou no último dia 9 de setembro que os servidores das agências da Previdência Social aceitem laudos técnicos novos para a comprovação da exposição do trabalhador a agentes que trazem risco a sua saúde.

Antes, o instituto só aceitava laudos que tinham sido produzidos no mesmo período em que o trabalhador esteve empregado no local onde havia a insalubridade.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Defensoria pede ao INSS que suspenda revisão de benefícios

A DPU (Defensoria Pública da União) enviou uma recomendação formal ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) na última sexta-feira (14) pedindo a suspensão do programa de revisão dos benefícios previdenciários, lançado pelo governo em agosto e iniciado em setembro.

Em julho, o governo publicou a medida provisória 739, que determinou a revisão de 530 mil auxílios-doença e 1,2 milhão de aposentadorias por invalidez que são pagas há mais de dois anos. As convocações para perícia, por carta, ­tiveram início no dia 5 de ­setembro.

A recomendação da DPU estabelece um prazo de dez dias para que a decisão seja acatada pelo INSS. Em caso de recusa, segundo a defensoria, pode ser iniciada uma ação civil pública.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Combate à política econômica une Centrais Sindicais

Fonte: Ag. Sindical
Recessão grave, desemprego em alta, arrocho salarial, juros abusivos, desnacionalização da economia e reformas neoliberais. É esse o cenário atual do Brasil, segundo as Centrais Sindicais e o Dieese.

Esse quadro foi debatido, e criticado, dia 17/10, durante reunião entre CUT, UGT, Força Sindical, CTB, Nova Central, CGTB, CSP-Conlutas e Intersindical, na sede nacional da UGT (União Geral dos Trabalhadores), em São Paulo.

As Centrais também debateram formas de enfrentar e definir eventual agenda de ações, por meio de protestos, paralisações ou negociações com os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Nesta quarta (19/10), as entidades voltam a se reunir, desta vez, na sede da CUT. A ideia é marcar um Dia Nacional de Paralisações, rumo à greve geral.

Cargo de conselheira ainda é difícil para executivas

Fonte: Valor Econômico
Em novembro, o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) vai divulgar uma nova pesquisa. O levantamento vai mostrar que as mulheres ocupam apenas 7,9% dos assentos nos conselhos de administração de empresas brasileiras listadas na bolsa. Tirando as herdeiras de organizações familiares, esse número cai pela metade. Em 2011, o índice era 7,7%. "O percentual praticamente não mudou nos últimos anos", diz Heloísa Bedicks, diretora geral do IBGC.


As explicações para tamanha disparidade entre gêneros nos "boards" são as de sempre. Há poucas executivas em cargos do alto escalão - apenas 2% dos CEOs no Brasil são mulheres - e isso acaba se refletindo nos conselhos. "Se você tem uma base pequena, há menos mulheres para serem indicadas", diz Andrea Menezes, chefe do escritório de representação do sul-africano Standard Bank no Brasil e uma das líderes do capítulo brasileiro do Women Corporate Directors (WCD), organização global dedicada a acelerar as melhores práticas de governança.




Por que há tão poucas mulheres no alto escalão das empresas? Muito se fala sobre a questão cultural. A mulher ainda é vista como a responsável pela casa e a família e, por isso, não se dedicaria à carreira da mesma forma que o homem. "Há preconceito em relação à sua competência no trabalho", afirma Maria Fernanda Teixeira, membro de alguns "boards" e coordenadora do grupo Mulheres em Conselho, criado para aumentar a diversidade de gênero. "Não se enxerga que os tempos mudaram e que as mulheres exercem diferentes papéis."
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...